Eleição de Bolsonaro representa riscos aos direitos dos trabalhadores

4 de novembro de 2018 10:26 pm Publicado por

Candidato de extrema direita venceu a eleição presidencial com propostas de reduzir ainda mais os direitos da classe trabalhadora.

 

Se já estava ruim, vai piorar ainda mais para os trabalhadores brasileiros. A eleição de Jair Bolsonaro (PSL) para a Presidência da República representa a continuidade do projeto neoliberal de Michel Temer de retirada de direitos da classe trabalhadora. Porém, desta vez, com o aval das urnas.

 

Em seu plano de governo, Bolsonaro já indicava profundos retrocessos sociais, com medidas agressivas para implantar reformas que afetarão as classes menos favorecidas. Um exemplo é a modalidade de carteira de trabalho verde e amarela, que elimina uma série de direitos previstos na Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT).

 

Também está na pauta de Bolsonaro uma reforma da previdência que pretende transformar as contribuições dos trabalhadores em meros títulos de capitalização, uma espécie de privatização da previdência social. Aumento da idade mínima para se aposentar e do tempo de contribuição também são ações esperadas.

 

Para além do plano de governo, os discursos de aliados do presidente eleito apontam para o fim do 13º salário e do adicional de férias.

 

Não bastasse todos esses retrocessos, a própria democracia do país está em risco. O Projeto de Lei do Senado 272/2016, de autoria de Lasier Martins (PSD-RS), quer modificar a Lei Antiterrorismo, abrindo brechas para criminalizar movimentos sociais, estudantis e de trabalhadores. Greves e manifestações poderão ser consideradas como atos terroristas. Será a institucionalização da repressão.

 

Diante deste cenário negativo, caberá aos trabalhadores e seus sindicatos o papel de resistir aos ataques que certamente virão.

Tag: ,

Categorizados em: ,

Este artigo foi escrito porSintraconCuritiba

Comentários estão fechados.